top of page

Você é vítima ou protagonista em sua vida?

Atualizado: 22 de ago. de 2022



Uma pessoa me fez um mal grande e algo que julgo muito errado. Sofri muito. Os

fatos já ocorreram.E agora o que vou fazer com o que aconteceu?


As experiências que temos nos causam, no mínimo, consequências psíquicas como

sentimentos e pensamentos. Reconhecer o que se passa consigo mesmo exige

estratégias de apropriação e de enfrentamento.

Ser responsável não é negar o erro do outro conosco, ou o nosso sofrimento, mas

mudar a narrativa, deslocar a posição de passividade “vítima”, e irmos para outra

posição em nossas vidas: de ativos e responsáveis. É reconhecer o seu papel nos

acontecimentos da vida.


Mas isso implica um enfrentamento psíquico.


Culpar o outro pode se tratar de reconhecer naquela que culpo as deficiências e

desejos que não queremos em nós mesmos, sem que tenhamos que enfrentar .

Todos nós, como seres humanos, temos limitações e dificuldades. Negá-las,

culpando outras pessoas por erros e atitudes que eu também posso ter feito, nos

impede de aprender e evoluir.

Culpar os outros pode estar associado ao medo de ser julgado ou de projetar no

outro aquilo que não aceitamos em nós. Assumir a responsabilidade das ações que

fazemos, nos permite corrigir erros, superar limitações e nos colocar como

protagonistas de nossas vidas.


Culpar o outro por algo de errado ou que não deu certo pode parecer confortável,

mas essa atitude pode ser uma forma de esconder limitações e dificuldades.

Além disso, culpar o outro por alguma falta que consideramos ter sido cometida

contra nós próprios pode ser RESSENTIMENTO.


O ressentido vai levar a pessoa a colocar-se na posição de VÍTIMA ETERNA e

consiste em um padrão: todos os acontecimentos que consideramos negativos

atribuímos, imediatamente, aos outros, sem a mínima reflexão, pois é mais fácil

acusar do que se olhar.

O ressentimento paralisa qualquer possibilidade de mudança: uma vez que é o

OUTRO que tem culpa pelo meu sofrimento, nada devo fazer para resolvê-lo senão

esperar que esse outro contra o qual acuso resolva minha situação.

Friederich Nietzsche dizia que o ressentimento é um veneno, pois é algo que

adoece e enfraquece as pessoas.

Tornar-se responsável pela própria vida, não dependendo inteiramente do outro

para seu sucesso ou fracasso, é ser capaz de responder aos desafios da vida em

uma posição ativa e afirmativa.

Em vez de esperar que as coisas aconteçam de determinada forma e encontrar

alguém para culpar por essas coisas não acontecerem, a pessoa que se

responsabiliza pela sua vida busca contornar as dificuldades.


E aí, o que você escolhe?

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page